Um velho boxer clamava do alto da sua demência:

– Levem-me de volta para o ringue!

Todos se riram enquanto ajustavam a camisa de forças.

O  farrapo de cicatrizes na sua jaula almofadada pensou:

“Sangue, suor e lágrimas”

A face retalhada dos golpes, a multidão suspensa, a raiva na ponta da luva e uns olhos matreiros na bancada.

O efeito das drogas derrubou a miragem e a toalha foi arremessada ao solo.

K.O.

P.S. Será que para nós sentirmos vivos temos de ter a cara amassada?