Alucinações dirão muitos de vós para não dizer todos… todos menos eu!

 

Lá estava ele. Sob as mais variadas formas… azul como o mar ou o céu, branco como as nuvens, vermelho como o sol…

 

Não sei se sabem caros leitores que o mal pode assumir as formas mais belas que podemos imaginar. O mal é mau mas não é necessariamente feio.

 

Virei-lhe a cara. Ainda não tenho coragem para falar com ele! Iremos conversar um destes dias mas ainda não foi desta.

 

Direi mais… aqueles que amo não me o permitem… É seguramente divina a protecção do amor. Asseguro-vos que valorizo tal protecção com mais veemência em cada dia que passa apesar de ser incapaz de o expressar. Porque será?

 

Olhamo-nos durante breves momentos…o Diabo e eu, um insignificante mortal que não sabe se terá lugar na história.

 

Pelo menos já o vi… Sei também que o vou ver mais vezes; tantas quantas ele quiser e em quanto der gozo aos Deuses bons. Só eles me podem reeducar.

 

O papel dos bons é chatear os maus… os maus podem ter tudo aquilo que vos parece interessante mas os bons… os bons ganham sempre!!! É esse o gozo de ser bom e é isso que chateia o chefe dos malvados!

 

n.a.: os bons desta história são os meus amigos e amigas; Tu, tu claro que és uma delas… seguramente a mais importante de todas!