É verdade ainda falta falar sobre um tema de Novembro …

Começo por dizer quais são os 7 pecados mortais: vaidade, inveja, ira, preguiça, avareza, gula e luxúria.

Há muita coisa que podemos fazer para tornar o mundo melhor umas mais simples outras bem mais complicadas. Entre as simples lembro-me de separar o lixo, não deitar lixo (inclui beatas) na rua nem para fora do carro, andarmos limpos e arranjados para não incomodar outras pessoas que partilham o mesmo espaço que nós, estacionar bem de forma a não impedir a entrada no carro vizinho, distribuir sorrisos, respeitar o espaço dos outros, respeitar o trabalho dos outros, não fazer o que não gostamos que nos façam a nós, e há de certeza muitas mais …

Entre as mais complicados  destaco educar os nossos filhos (os dos outros é fácil) para serem pessoas integras, simpáticas, organizadas, bem dispostas, que gostem de nós enfim para que sejam felizes e façam os outros felizes; fazer a nossa família feliz, encontrar tempo para estar com os nossos amigos, familiares, filhos; ser uma presença agradável e simpática (por vezes não é fácil para os tímidos e tende a confundir-se com antipatia); encontrar um companheiro/a de quem gostemos (li no outro dia) de conversar (e é bem verdade); e o mais importante façamos o que fizermos na vida devemos fazê-lo com vontade, optimismo para sentirmos a verdadeira felicidade e não acabarmos uns idosos sem paciência para nada porque passámos a vida inteira a fazer coisas chatas. E acho que já chega …

Em relação aos pecados mortais estão presentes na nossa vida quando nos olhámos ao espelho e pensamos que boa aparência que tenho, ou estou/sou magra yupie! Estamos a ser vaidosos; Gostava tanto de ter aquela mala da LV que aquela senhora/senhor tem, ou o carro/casa do vizinho. Estamos a ser invejosos. Aí que aquela pessoa me dá cabo dos nervos. Estamos definitivamente irados. Hoje vou ficar todo o dia na cama! Nunca me aconteceu mas é preguiça. Não vou emprestar nada a ninguém, como diria o meu filho – É meu! Estamos a experimentar a avareza. Não ter fome e ter vontade de comer porque temos imensa comida à disposição, por exemplo num casamento. É a gula pura e dura. Para a última lembro-me de uma música do Toy – Sensual sou tão sensual. De uma forma ou de outra já todos devemos ter experimentado um bocadinho de cada um, até porque somos todos mortais … o mais importante é que enquanto não estamos mortos tentemos ser felizes e fazer quem nos rodeia feliz, mesmo cometendo alguns “pecaditos” pelo meio…