Hoje em dia vivemos atafulhados em papeis, queremos e precisamos de informação em qualquer lado, a qualquer hora,  sem resmas de papeis atrás, pcs ou outros equipamentos electrónicos. Precisamos de comunicar, muitas vezes olhos nos olhos com quem está no outro lado. Precisamos de nos divertirmos e descansar a cabeça sem carregarmos livros, sem ter que ligar uma tv, dvd e mais não sei o quê.

O prometido papel electrónico é cada vez mais uma necessidade (até ambiental), que ainda não é uma realidade. Apenas uma experiência.

Um folha de “papel” que se dobra, como qualquer papel, onde podemos ler, ver, escrever, falar e apagar e que, no fundo, não será mais do que um ecrã com acesso à internet, seja para ir buscar informação pessoal, comprarmos um e-book, fazermos o download de um filme ou simplesmente dobrar, meter no bolso e ficarmos a contemplar o pôr-do-sol  à beira-mar, que isso ninguém consegue fazer tão bem quando o criador fez!