Assim de repente não me vem nada à cabeça, posso pensar mais um bocadinho …

 

(1)Decididamente a minha fraqueza são as compras não devia ter comprado certas coisas durante os últimos anos, como por exemplo: mais uns quantos pares de sapatos (quando já não tenho mais espaço para os guardar), mais umas quantas peças de roupa (se bem que eu não tenho a culpa de estarem sempre a sair coisas novas …), algumas compras de supermercado podiam ser mais equilibradas em termos de quantidades e de tendência para experimentar coisas novas que posso não gostar, aquele creme da farmácia para ver se fico com a pele mais bonita, depois de já ter experimentado uns quantos sem bons resultados, e acho que já chega de arrependimentos acerca de compras.

 

(2)Não devia ter refilado tanto com a minha Mãe, mas há coisas que por vezes me transcendem, mas devia ter mais calma, afinal é a minha Mãe.

 

(3)Não devia ter refilado com o meu filho, quando estou cheia de pressa para fazer o que tenho para fazer e ele por e simplesmente não me deixa

 

Eu refilo muito …

 

(4)Devia ter divido mais a minha atenção por diversas pessoas ao mesmo tempo em vez de só para uma de cada vez, em cada momento, isto assemelha-se mais a uma característica masculina – que é a de só conseguirem fazer uma coisa bem de cada vez.

 

(5)Arrependo-me de não ter tido mais calma, de não ter bebido mais água e de não ter dormido mais enquanto estava grávida. Será que o meu filho teria saído mais calmo? Nunca o vou saber … A água não entra para a calma do meu filho … só que podia ter evitado eu ter aumentado de peso 20 Kg e de ir para a maternidade com uma “aleijadinha” numa cadeira de rodas por não poder andar. E agora com esta conversa lembrei-me mais uma coisa que foi ter dado as calças que vestia antes de estar grávida por achar que nunca mais me ia conseguir meter nas ditas cujas.

 

Afinal arrependo-me de algumas coisas é só pensar um bocadinho. Mas mais vale arrependermo-nos do que fizemos do que daquilo que deixámos de fazer ….