Ponham-no dentro de uma redoma de vidro, gritava a população agrilhoada por princípios bacocos que os pensadores livres não compreendem. Matem-no gritavam os mais radicais defensores de morais que mais não são que ocultações de vidas obscuras e traições que, por serem traições, os moralistas tendem a ocultar.

 

Será que a vida não pode ser um mar de experiências vividas no limite. Será que não podemos fazer o que queremos sempre e quando estejamos bem com o que decidimos e não prejudiquemos as liberdades e vivências dos demais. Será isto trair?

 

Pobre alma, era nisso que acreditava, e naquela manhã, ao sentir cair sobre ele a ira de anos de princípios mal definidos que impossibilitam homens de conhecer mulheres e mulheres de conhecer homens!

 

Permitam-me caros amigos que releiam o escrito acima substituindo homens e mulheres por pessoas… leriam pessoas de conhecer pessoas! Que diferença descomunal… mesmo que essas pessoas tenham compromissos com outras pessoas… pessoas conhecem pessoas todos os dias, mas homens que conhecem mulheres ou mulheres que conhecem homens… esse é para muitos um problema. Pessoas casadas que jantam juntas são uma coisa mas um homem casado que janta com uma mulher casada é outra! Pior se um deles é solteiro… ai é que se exacerbam os remoques de anos de enviesamentos culturais… que ridículos se irão sentir alguns ao ler isto! E que irritados ficarão com o autor… desfaçatez de provocar! Mas o autor é neste momento um aspecto menor da criação e do pensamento!

 

Alcoviteiras, bruxas, tontos e conspiradores, foi assim que lhes chamou alguém que eu prezo muito na tentativa de descrever aqueles que ainda hoje, numa sociedade supostamente liberal tentam condicionar relações e relacionamentos e que se vêm a falar da vida dos demais porque a sua não tem nenhum interesse.

 

Anormais, gritava aquele espírito ao sentir que ia ser castigado. No fundo não fizera nada de errado, limitava-se a viver e descobrir e a conviver… ia pagar por isso, a sociedade não perdoa a este tipo de criminosos!

 

Ainda bem que há gente que pensa assim, porque se assim não fosse eu não seria capaz de compreender quão extraordinários são todos aqueles que conheço que pensam de outra forma.

 

Certas liberdades são para ser vividas às escondidas pensam alguns! Pois eu digo que não…