Perdão meus caros amigos mas Jogos Olímpicos não são o meu forte. Pelo vistos nem o meu nem o de muitos atletas portugueses que por lá passaram a fazer fé no rol de comentários depreciativos que escutei relativamente aos nossos participantes. Muitos feitos por jornalistas desportivos ou comentadores que da pratica desportiva sabem tanto como eu e é por isso que dizem que devemos ter uma estratégia para ganhar medalhas… Meus amigos isto é desporto, há dias bons e há dias maus e como em tudo na vida quanto menor a pressão pela vitória e maior a alegria por fazer algo de que se gosta maiores as probabilidades de triunfo.

 

Como rescaldo deste evento deixo a ideia de mais uma desilusão criada e alimentada pela comunicação social que nos tenta fazer acreditar que temos muitos, ou pelo menos alguns, atletas de nível mundial e que de forma pouco sã nos faz acreditar que a vida deste país pode melhorar com os resultados desportivos por estes alcançados. Criem as mesmas expectativas com políticos, empresas e para os próprios e depois começamos a falar!

 

Mas em Londres a história vai ser diferente. O fuso horário é o mesmo que o nosso e eu vou aplaudir o Marco Fortes na sua subida triunfal ao pódio. Vamos lá a ver é se até lá o Governo não nos alinha pela CET e o rapaz se tem que levantar outra vez mais cedo.

 

Em qualquer caso e como disse alguém, o estranho é como é que um país no qual quer homens quer mulheres tanto caminham dentro de centros comerciais trajando fato de treino e sapatilhas não consegue ganhar mais medalhas.

 

N.B.1: já sei que não tenho grande apetência para este tipo de escrita. Garanto no entanto que vou continuar a treinar e daqui a quatro anos estarei em grande.

N.B.2: os professores que me expliquem o termo “rescaldo olímpico”, porque me parece que a conjugação de palavras é uma invenção de algum jornalista que na vida anterior foi bombeiro.