Na hora da despedida há sempre quem se inspire e transpire…

Pediram-me que estes versos fossem publicados e seja feita a sua vontade!!

Um bem-haja e até para o ano, meu querido amigo!

 

O verão chegou ao fim.
Já sinto saudades da minha terra.
Vou partir lá para longe,
Mais um ano com o coração em guerra.

Matei saudades de todos,
Tive sempre o coração na boca.
Foram dias que encheram a alma
De uma alegria pura e louca

Foi a festa cá na terra,
Em que a nossa senhora foi princesa.
Momentos de forte comoção
E de única e enorme beleza

Houve os bailes com as moças,
bandas de música a tocar.
nem os calos e artroses senti,
foram horas infinitas a dançar

Matou-se e comeu-se o porco
Com os temperos tradicionais
Se fosse lá estranja
Prendiam-nos sem demais

Vi os novos rebentos da familia,
E os novos doutores, vindos de Porto.
Longe vai o tempo do carro de bois,
E da ditadura do desconforto.

Alguns já partiram,
Deus nosso senhor os tem
Bem hajam por tudo que fizeram
E por tratarem bem da minha mãe

O Mercedes já está pronto,
É hora de ligar o motor!
Parto cheio e ao mesmo tempo vazio
E comigo levo esta imensa dor!