Amizades perdidas são cicatrizes na alma

I

 

Era uma vez um homem que acreditava ser a vida o bem mais importante que possuía e por ter consciência que a mesma tinha um limite vivia a sua existência à velocidade mais estonteante que podia.

 

Sabia esse homem que cada momento de tempo que passava era de tal forma precioso e irrepetível que tinha de ser absorvido ao máximo.

 

Permitam-me caros amigos um detalhe de aborrecimento mas terei que vos dizer que se alguma coisa este homem tinha em comum com quem vos conta este conto era o valor que dava a conhecer outros seres e a absorver o seu saber.

 

Este homem repetia muitas vezes que não havia nada mais caro que conhecer outras criaturas porque dedicamos a essa saga tempo da nossa vida, tempo esse que não se afere em ouro mas em vida!

 

Aqueles que compreendiam esta sentença sabiam que ele por vezes acrescentava com eloquência: E ainda que saiba que o tempo de vida é um bem tão precioso que não o podemos comprar vou dedicar tanto quanto possa a conhecer pessoas e a aprender a amar cada uma delas.

 

Certo é que esta generosa ambição de dedicar o seu tempo a conhecer outros lhe valeu muitos amigos ao longo da vida. Certo é também dizer que muitas dessas amizades que nalgum momento o foram incondicionais se perderam ao longo da sua vida… algumas por o ser que a suportava desapareceu do mundo dos vivos, outras porque o mundo dos vivos reservou a esses indivíduos outras amizades e outras ainda em consequência de discussões e desentendimentos muitas vezes incompreensíveis, inconclusivas e estéreis.

 

A perda destas amizades e o valor que supõem são as cicatrizes que este homem carrega na sua alma. Cicatrizes tão profundas que a dor que delas emana está de tal forma presente que esses momentos e memórias perduram no seu sentir e moldaram a sua forma de ser.

 

Consequência deste sentimento este homem compreendeu que tanto vale o tempo que dedicamos a conhecer pessoas como aquele que dispensamos a manter vivas essas relações e esse conhecimento.

É por isso que, ainda hoje, investe o seu tempo em todos aqueles que conhece e a conhecer gentes novas.

É também por isso que, ainda hoje anseia reatar amizades perdidas.

 

 

Amizades perdidas são cicatrizes na alma

II

 

Era uma vez um homem que acreditava ser a vida o bem mais importante que possuía e por ter consciência que a mesma tinha um limite vivia a sua existência à velocidade mais estonteante que podia.

 

No entanto quando encetou uma epopeia de reaver as relações que perdera, independentemente do motivo de tal perda, apercebeu-se de quão difícil seria tal missão.

 

Foi então que percebeu que tinha que comprar tempo de vida. Começou a correr o mundo a procura de quem o quisesse vender sem nunca ter encontrado alguém com disponibilidade para tal.

 

Deixou como tal de valorizar o tempo dedicado à amizade e na sua busca de comprar mais vida perdeu todos os que conhecia. Ao aperceber-se de tal facto quis ainda comprar mais vida e o ciclo ficou de tal forma viciado que por mais velocidade que empregasse em tal tarefa começou a perceber que a mesma estava perdida e já nunca chegaria a tempo. Tinha perdido o seu tempo e não tinha podido comprar mais!

 

Ao compreender tal erro envergonhou-se e isolou-se do mundo… vive só e na loucura. A dor que sente todos os dias tolhe-lhe a razão e a memória…

 

 

Amizades perdidas são cicatrizes na alma

III

 

Era uma vez um homem que acreditava ser a vida o bem mais importante que possuía e por ter consciência que a mesma tinha um limite vivia a sua existência à velocidade mais estonteante que podia.

 

O homem que tanto valorizava a vida e tanto amou outras almas morreu sozinho.

 

Mas há muitos outros homens e mulheres que vivem e acreditam na amizade, que a potenciam e cultivam. Ainda bem que muitos deles, se não todos, sabem que perder uma amizade não significa ter perdido tempo de vida… significa uma cicatriz na alma mas equivale também gratas memórias e enriquecimento do nosso ser.

 

Resta em qualquer caso sentirmos que ao perdermos alguém que queremos, seja pelo motivo que for, tudo fizemos para evitar essa perda, até porque, se o outro ente continua neste mundo têm também a alma marcada por cicatrizes profundas.