A vida dos corajosos é como a marcha de um transatlântico, de um petroleiro ou de um imenso cargueiro, não é fácil de parar!

 

As almas desassossegadas por medos são como pequenos barcos que se afundam na grandeza dos mares e sobre estas falaremos num outro momento.

 

Devíamos ser todos transatlânticos no que à vida diz respeito. Devíamos ter coragem de rasgar a vida e ao mesmo tempo sermos capazes de olhar em volta e longe à procura de outros grandes barcos para evitar colisões quase sempre fatais e irremediáveis dada a grandiosidade e unicidade da cada ser humano.

 

Devíamos ser todos petroleiros e permitir que os sentimentos sejam o combustível que nos move e a razão o leme que define a direcção a seguir.

 

Devíamos ser todos grandes cargueiros e ter a generosidade para que com a nossa dimensão humana seja possível proteger todos os demais seres que nos rodeiam e que fazem do mundo o que ele é.