É muito bom saber que há alguém que tem a coragem de recomeçar algo que estava abandonado e lhe dá vida novamente. É preciso mesmo muita coragem, obviamente que me estou a referir a este blog, mas o mesmo conceito pode ser aplicado a várias áreas da nossa vida …

O que será que está abandonado à nossa volta, e podemos reanimar? Uma planta?  Um (a) amigo/a? A nossa vida?  …

É preciso muito trabalho, mas sem trabalho nada se faz, pois não? E se esta nossa atitude for contagiante?  Humm já me sinto com mais vontade de vir a este blog mais vezes, com dois objectivos ler e escrever. Assim haja tempo …

Bjs

PS – A música da Ágata já não se aplica a este blog, ainda bem!

1. Poderemos perder uma batalha e ganhar a guerra (… a boca toda rebentada, mas como escapou o molar do lado esquerdo ainda há esperança…)?

2. Quem são os nossos aliados (gentle under pressure ou besta quadrada)?

3. Quem são os nossos inimigos (apareçam sacanas, ou eu invento alguém para odiar)?

4. Aqueles que contam estarão connosco aconteça o que acontecer (quem me vai levar uma frutinha ao limoeiro)?

5- O que andamos para aqui a fazer (???)?

6- Será o universo finito (tipo bola de cristal made in China, melhor, bola de clistal…)?

7- Quem criou este mágnifico caos (Big bang; All-Mighty; Olá, desculpem! Alá; Buda e mais uns quantos simpáticos seres celestiais; Eu)?

8- Existirá a tal alma gémea ou será uma história mal contada (onde estás tu Josileide meu bem)?

9- Pensar, parecer, ser ou agir (sorrisinho, sorrir, sorrir menos e rir às gargalhadas)?

10 – Up Everest 8848m ou down Fossa das Marianas 11034m?

1 – Literatura: Dom Quixote; Cervantes.

2 – Jazz: Miles Davis; Concierto de Aranjuez (Adagio).

3 – Fotografia: Josef Koudelka.

4 – Pintura: Caravaggio.

5 – Guitarrada a Rasgar: Jimmy Hendrix, Little Wing.

6 – Guitarrada Portuguesa: Carlos Paredes, Verdes Anos.

7 – Arquitectura: Norman Foster.

8 – Monumento: Granada, Alhambra.

9 – Onda: Taiti, Teahupoo.

10 – Poema: Pablo Neruda, Canto Geral

Matilde, nome de planta ou de pedra ou vinho,

do que nasce da terra e dura,

palavra em cujo crescimento amanhece,

em cujo estio rebenta a luz dos limões.

Nesse nome correm navios de madeira

rodeados por enxames de fogo azul-marinho,

e essas letras são a água de um rio

que em meu coração calcinado desemboca.

Oh nome descoberto sob uma trepadeira

como a porta de um túnel desconhecido

que comunica com a fragrância do mundo!

Oh invade-me com tua boca abrasadora,

indaga-me, se queres, com teus olhos noturnos,

mas em teu nome deixa-me navegar e dormir.

Um velho boxer clamava do alto da sua demência:

- Levem-me de volta para o ringue!

Todos se riram enquanto ajustavam a camisa de forças.

O  farrapo de cicatrizes na sua jaula almofadada pensou:

“Sangue, suor e lágrimas”

A face retalhada dos golpes, a multidão suspensa, a raiva na ponta da luva e uns olhos matreiros na bancada.

O efeito das drogas derrubou a miragem e a toalha foi arremessada ao solo.

K.O.

P.S. Será que para nós sentirmos vivos temos de ter a cara amassada?

Como ando por aqui a correr atrás da cauda tenho o direito ao inesperado, isto é, fazer um apanhado do ano 2009 em pleno Março de 2010. Como diria o inestimável Fernando Pessa:

- E esta hem!

Os génios são assim, do nada surge a originalidade, estou orgulhoso, muito orgulhoso, reparem ,zás, mais um coelho que sai da cartola!

Ok, já chega!

Vamos por tópicos:

2009 em revista

Categoria Ainda Se Escreve Divinamente: Paul Theroux “The happy Isles of Oceania”, literatura de viagens como nunca li, mete o Sr. Bill Bryson a um canto.

Categoria Viagem do Ano: Granada, Espanha, Agosto. Fiquei umas duas horas a olhar para o Alhambra sem pio. Quarenta e sete graus em Córdoba e um zarolho anão a assaltar-me num estacionamento:

Anão: Saca unas moeditas girafa ou te cuerto a las puestas|

Eu: 600 Km en el luembo e mi quieres hacer dano!

Anão: Deixia-te de mierdas e saca el carcanhiol que tiengo que andar-me a beber una cierviezita!

Eu: Tioma dios eurios e no me saques las triepas!

Anão: (Levantando a pala para verificar a miséria do saque) Si Camões fuesse vivo te renegava forrieta de um madre que acia carinhos a tiodos del biairro!

Eu: Buena fortuna Sr. Anião e num parta los cuernos de encuentro a iun autiocarro!

Categoria Barrete Gastronómico: Alguns restaurantes são assim, da primeira vez que fui fiquei bem impressionado, da segunda… nunca mais lá vou. La Paparrucha, mesmo assim, a melhor vista sobre a cidade de Lisboa.

Categoria 5 Estrelas Gastronómico: Salsa e Coentros, Alvalade. Onde comi o tal arrozinho de perdiz… 

Categoria Séries Em Série: Californication, uma barrigada de filosofia de ponta, servida com doses colossais de sentido de humor.

Categoria Lady Divinal: Monica Bellucci, confessso que a moça é engraçadota…

Categoria Imbecil Acima de Qualquer Suspeita: O Sr. Engenheiro, sim! O tal que manda nisto e com a maior das boçalidades goza o pagode e enche o odre. Muita fachada para tão pouco alicerce. Ninguém gosta de ser gozado, mas sentir os perdigotos do gozador na face e a arrogância cravada no lombo… desagradável!!!

Categoria Evento Desportivo: WCT Rip Curl Surf Peniche, ver os meus ídolos ao vivo, ver atitude, no fear, toneladas de talento… afinal eles existem… mutantes!!!

Categoria Fui e Fiquei Agarrado: Snowboard!!! Sempre gostei de praticar desporto, desde o matraquilho, xadrez, surf, chinquilho, bilas, escalada, pião, bola, prego, tudo e umas botas. A malta da neve sempre me causou alguma irritação, ” a neve isto…”, ” as pistas pretas aquilo…”, ” a neve fora de pista aqueloutro…”. Fui, adorei, estou agarrado e nunca pratiquei desporto que me desse tanto gozo como deslizar (às vezes rebolar) montanha abaixo. Loucura!!!

Categoria Refeição De Sonho: Sopa de Cação, Arroz de Perdiz (a empada também estava divinal) e Sericaia (da amiga).

Categoria Pinga Dos Deuses: Batuta 2007, Douro, Niepoort, néctar dos deuses!

Categoria Por Um Triz: Não ter estoirado os dentinhos todos quando me atirei por um barranco que nem uma flecha… Nem eu resisto a um “não és homem, não és nada!”. Se me tem escapado uma patinha ainda agora estava a procurar os molares. Radical!

Categoria Obrigado Altíssimo: Ter mantido os molares intactos!

Categoria Está Fresquinho: Não conseguir sentir os dedos dos pés, os pés, os tornozelos, os joelhos, tudo acima e entre os joelhos, depois de uma surfada sem apanhar uma onda em Carcavelos. Gelo!!!

Categoria A Tal: Não apareceu, ou então estava na ponta do meu nariz e eu espirrei!

Categoria Por Um Triz 2: Apuramento para o Mundial de Futebol África do Sul 2010. I´ve got a feeling… que vamos lá levar cabazadas! Ú! Ú!

Categoria Pinóquio: Já não me lembro assim tão bem do que fiz o Verão passado e é melhor ficar por aqui, antes que me meta no costumeiro carrinho de rolamentos e estoire os molarzinhos…

Categoria Ainda Aqui Estou: Ninguém se livra de gramar com: Balanço 2009 Parte Dois. Medo!!!

Hoje fiquei deliciado com a seguinte cena:

1. Maquinaria pesada a concluir uma daquelas obras intermináveis de Lisboa.

2. Cinco ou seis artistas da categoria +70 Primaveras com os olhos turvos de admiração.

3. Um silêncio reverencial perante uma niveladora que debitava 1000cv, cuja vibração fazia estremecer de paixão aqueles maduros.

4. Quando estava prestes a sair deste quadro entra o séptimo artista que com a voz trémula e emoção estampada no rosto debita a oração sagrada que encanta gerações:

- G´ANDA MÁQUINA!!!

Recordei com alegria a minha meninice e o encanto de qualquer obra. Nunca vou esquecer o desgosto que sofri no último dia de obras na casa do Xixi (isso mesmo minha gente e não digo o que carinhosamenente chamávamos ao filho do Sr. Xixi). Quando desmontaram os andaimes e deram os retoques finais na pintura senti uma pontada no coração. Acabaram com horas intermináveis a assistir a todas as manobras de execução daquele lindo imóvel, o pôr-do-sol que toca a grua, o cheiro a massa de vidro e o inesquecível odor do cimento fresco. Malditos! Os lanchinhos que papei na varanda para não perder pitada e a companhia do mano que para o fim só debitava um triste:

- Malandros! Que isto está quase pronto!

Os idosos são passarinhos que dos galhos lembram ventos e voos passados e pasmam com o corropio da vida que nos faz voar a pique sem termos vagar para nada.

P.S. O número de comentários sobe, o número de escribas nem por isso. Agora marchava o Cherne, um copinho de H2O da Serra da Gardunha (tragada directamente da fraga) e mais qualquer coisa para adoçar o bico. Resumindo:

- Pizza congelada! Blhag!!!

O prometido é devido e cá estou eu para ser açoitado pelo públicozinho, fui ver as estatísticas e a coisa está feia. Será que é época de marisco e outras formas carnudas?

Derivado de um (ligeiro) problema de obstinação  (teimosia) que desenvolvi no ventre materno aqui vou eu rampa abaixo, tal qual, Calvin no seu carrinho de rolamentos hipersónico!

Neste momento somos três a sustentar as audiências, a saber:

Eu, Master Escriba!

Carabineiro, nome sugestivo capaz de fazer salivar qualquer amante destas criaturas apetitosas, melhor seria” A Carabineira”, aí entrava numa volúpia de tratar a bicha com delicadeza e degustar cada lasca com a devida veneração.

A Fã? Desta criatura não tenho confirmação. Sinto uma vibração cibernética! És tu querida? Será a minha cibernética gémea? Give me a sign! Please!

A coisa há-de compor-se!!!

O tema do dia tem por intenção separar o Homem (mulher, repararam na marotice da letra minúscula? Nada melhor para animar um blog moribundo que uma guerra de sexos, please!) do resto dos seres rastejantes deste planeta.

Saber se o estimado leitor é Homem (mulher) de Bifanas e Minis?

Porquê?

Porque também podemos ser do género:

Carabineiros grelhados regados com Krüg de ano inolvidável?

Sardinha assada e sangria?

Cherne no forno e um Tiara Branco de 2007?

Torresmos e um copo de vinho carrascão?

Do que são feitos os estimados leitores?

Hã?

Moi-même revela a sua essência, moi-même é um Vintage, isto é, Galáxias alimadas com Tinto Big Bang de 00!

P.S. A Wikipédia ajuda o neurónio duvidoso a ficar radioso:

“Resiliência é um conceito oriundo da física, que se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais, de acumular energia quando exigidos ou submetidos a stress sem ocorrer ruptura. Após a tensão cessar poderá ou não haver uma deformação residual causada pela histerese do material – como um elástico ou uma vara de salto em altura, que verga-se até um certo limite sem se quebrar e depois retorna à forma original dissipando a energia acumulada e lançando o atleta para o alto.”

Lindo! Também quero! Ser lançado para o alto e trazer um pedaço da Lua! 1, 2, 3 … fogo!

O efeito de bola de neve é imparável!

Os fãs?!

A fã?!

Algum escriba do ministério desejoso de fazer subir as audiências?!

Provocaram um tumulto nestas mentes, interessantes (interessante soa a rasante, pouca elevação, piadinha) mas,mas,mas, já nada pára esta gloriosa dinâmica.

Acordem irmãos, sacudam o torpor e a inêrcia!

Escrevam meus sacanas!!!

Aqui o escriba precisa de reforços!!!

Logo vou dissertar sobre marisco e outras formas carnudas, teimosas, que insistem viver agarradas às rochas.

Bichos danados! Nutro grande admiração pela sua persistência!

Bem Hajam!

Por razões, tropeções e abanões que não são para aqui chamados voltei a este ministériestagnado. Vou tentar reanimar a coisa, o blog nem pulso nem bafo e pelo cheiro já deveria estar debaixo dos torrões. Reli e voltei a gostar do que vi, a Irmandade do Ministério até tinha a sua laracha. Vamos lá animar minha gente!!!

Porque é que tantos homens têm medo de evoluir e deixar de ser crianças? Podiam ficar só com o que é bom nas crianças como a simplicidade, o sorriso, a alegria de viver e passar à fase seguinte sem medo de deixar a anterior para trás.

Por exemplo, porque é que tantos rapazes, com uma idadezita avançada e pais de familia ainda gostam tanto de jogar na playstation e têm colecções infindáveis de jogos? Não descobriram ainda nada melhor para fazer? Querem uma dica? Conversar com as vossas companheiras. Só sabem falar de futebol e mulheres? A sério? Hummm e a vossa cabeça não se lembra de mais nada? Não acredito. Esforcem-se mais, por favor.

As doenças e as dores nos homens também são muito engraçadas, estão sempre para morrer, não interessa se é grave ou não, qualquer coisa e ficam logo para morrer, para quê? Para terem atenção suplementar … e alguns até a conseguem. O tramado é quando é a mulher com alguma dor, não ligam nenhuma e relativizam “Isso não é nada!” Será que não queremos atenção?

Depois há os que não querem nada com as mulheres nem querem perceber nada sobre coisas de mulheres. Será uma defesa? Não sei. Alguns continuam solteiros, é bom parecer que é por vontade própria.

Será que não querem mesmo evoluir, será que não estão a perder alguma coisa?

E havia muito mais para dizer mas fica para outro post, como não fiquei sozinha e ainda arranjei mais companhia tenho que ir tratar dessa companhia, que é um bom exemplar masculino, por enquanto …

Bom sábado divirtam-se!

Estatisticas

  • 16,997 visitias

Autores

Comentários recentes

Povo em audição:

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.